Resta, acima de tudo, essa capacidade de ternura. Essa intimidade perfeita com o silêncio. Resta esse sentimento de infância subitamente desentranhado de pequenos absurdos, essa capacidade de rir à toa. Resta essa distração, essa disponibilidade, essa vagueza de quem sabe que tudo já foi como será no vir-a-ser. Resta essa faculdade incoercível de sonhar, de transfigurar a realidade, dentro dessa incapacidade de aceitá-la tal como é, e essa pequenina luz indecifrável a que às vezes os poetas dão o nome de esperança. Resta esse constante esforço para caminhar dentro do labirinto, esse eterno levantar-se depois de cada queda, essa busca de equilíbrio no fio da navalha, essa terrível coragem diante do grande medo, e esse medo infantil de ter pequenas coragens.
Vinicius de Moraes. (via romanteios)
Posted 13 June 2014, 4 months ago | 1,635 notes | reblog this post
(originally recomendar / via yaliney)
Fizeram a gente acreditar que amor mesmo, amor pra valer, só acontece uma vez, geralmente antes dos 30 anos. Não contaram pra nós que amor não é acionado, nem chega com hora marcada. Fizeram a gente acreditar que cada um de nós é a metade de uma laranja, e que a vida só ganha sentido quando encontramos a outra metade. Não contaram que já nascemos inteiros, que ninguém em nossa vida merece carregar nas costas a responsabilidade de completar o que nos falta: a gente cresce através da gente mesmo. Se estivermos em boa companhia, é só mais agradável. Fizeram a gente acreditar numa fórmula chamada “dois em um”: duas pessoas pensando igual, agindo igual, que era isso que funcionava. Não nos contaram que isso tem nome: anulação. Que só sendo indivíduos com personalidade própria é que poderemos ter uma relação saudável. Fizeram a gente acreditar que casamento é obrigatório e que desejos fora de hora devem ser reprimidos. Fizeram a gente acreditar que os bonitos e magros são mais amados, que os que transam pouco são confiáveis, e que sempre haverá um chinelo velho para um pé torto. Só não disseram que existe muito mais cabeça torta do que pé torto. Fizeram a gente acreditar que só há uma fórmula de ser feliz, a mesma para todos, e os que escapam dela estão condenados à marginalidade. Não nos contaram que estas fórmulas dão errado, frustram as pessoas, são alienantes, e que podemos tentar outras alternativas. Ah, também não contaram que ninguém vai contar isso tudo pra gente. Cada um vai ter que descobrir sozinho. E aí, quando você estiver muito apaixonado por você mesmo, vai poder ser muito feliz e se apaixonar por alguém.
John Lennon (via fraquejou)
Posted 11 February 2014, 8 months ago | 41,410 notes | reblog this post
(originally auroriar / via fraquejou)
Posted 14 January 2014, 9 months ago | 8,594 notes | reblog this post
(originally um-bebado-ai / via viberastafari)

Me ter. Meter. Duas coisas que você adora.

Posted 14 January 2014, 9 months ago | 8,073 notes | reblog this post
(originally vodkaeputaria / via viberastafari)
Depois de estar com você, de sentir teu cheiro, tua pele, encostar a mão no seu rosto, ouvir coisas banais, enroscar meus dedos em seus cabelos, enfim, de sentir você, eu tenho, tive e sempre terei absoluta certeza de que eu não quero que você saia da minha rotina. Permaneça sempre, por favor.
Tati Bernardi. (via ele-nao-gosta)
Posted 14 January 2014, 9 months ago | 2,099 notes | reblog this post
(originally repentinas / via induzes)
Ás vezes é necessário excluir pessoas, apagar lembranças, jogar fora o que machuca, abandonar o que nos faz mal, se libertar de coisas que nos prendem.. Espere sempre o melhor, prepare-se para o pior e aceite o que vier. Ouse, arrisque, não desista jamais e saiba valorizar quem te ama, esses sim merecem seu respeito. Quanto ao resto, bom, ninguém precisou de resto para ser feliz.
Pedro Bial. (via fraquejou)
Posted 16 December 2013, 10 months ago | 31,979 notes | reblog this post
(originally inverbos / via fraquejou)
Posted 6 December 2013, 10 months ago | 20,207 notes | reblog this post
(originally ostentei / via yaliney)
Posted 6 December 2013, 10 months ago | 15,490 notes | reblog this post
(originally t-a-t-u-a-d-a / via mentiras-dos-garotos)
Olha, não sei por quanto tempo te esperei, mas pareceram séculos. Sei que não sou uma boa pessoa, que fujo dos limites, ando na contra mão e derrapo algumas vezes, mas por você eu mudo. Por você eu dou um jeito. Quero você em todos os lugares comigo. Quero você presente em cada briga, em cada risada. Quero você comigo, porque eu sei que dessa vez, se eu tiver você, vai dar tudo certo.
Luiz Henrique Novaes.  (via ele-nao-gosta)
Posted 6 December 2013, 10 months ago | 564 notes | reblog this post
(originally dopar-me-deactivated20140425 / via induzes)
Posted 6 December 2013, 10 months ago | 42,658 notes | reblog this post
(originally annaalysandraatos / via reggae-do-porto)
nem por ninguém. [C.F.B.]
Não se deixe entristecer por nada,
“Sou egoísta, gosto de ver televisão sozinha, sem ninguém falando junto. Sou chata, não gosto de dividir banheiro com ninguém. Sou espaçosa, bagunço as minhas coisas. Preciso da solidão pra ler, pra olhar para o teto, pra tirar ponta dupla do cabelo, pra fazer as unhas, pra pensar em tudo, pra fazer nada. Preciso da solidão pra ser eu mesma. Pra fazer alongamento, rir de mim, chorar comigo.”

— Clarissa Corrêa



Eu, do fundo do meu coração, tenho um orgulho absurdo de ser quem eu sou. Não vou dizer que é fácil, e que nunca deu vontade de desistir, mas vale muito mais a pena continuar. — (Tati Bernardi)
Faq, leia.
ASK
Sister. ♥
Facebook
Facebook, pag.
1 st page
askbox
Home